Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A Mulher e a Mama

littlebubble, Sexta-feira, 07.06.13

O cancro é uma das patologias mais temidas no mundo moderno. É ainda com tabu que se aborda este tema (veja-se o “morreu de doença prolongada”). Apesar de potencialmente curável, representa um dos mais pesados factores de mortalidade nos países desenvolvidos. Para além disso, mais do que as mazelas físicas, existe toda uma série de sentimentos adjacentes a esta patologia, os quais muito dificilmente se conseguem evitar.

 

O cancro mais frequente das mulheres do Ocidente é o cancro da mama, sendo o cancro com maior taxa de incidência em Portugal. É muito mais frequente nas mulheres, mas pode atingir também os homens. Sabiam disso?

 

O cancro da mama é um tumor maligno que pode ter origem tanto no epitélio dos lóbulos (carcinoma lobular) como dos ductos (carcinoma ductal), sendo este último o mais comum. Se o tumor se mantiver no interior do ducto ou lóbulo, denomina-se carcinoma in situ. Pelo contrário, se ultrapassar esta barreira e se difundir, é designado carcinoma invasivo. Isto acontece caso as células cancerígenas invadam o tecido são que as circunda, atingindo os gânglios linfáticos na zona axilar e posteriormente, formando focos secundários. Cerca de 80% dos cancros invasivos têm origem nas células ductais.

Existe ainda uma terceira forma de apresentação desta patologia, denominado cancro inflamatório, devido ao facto de a mama apresentar características inflamatórias, como vermelhidão e edema. É, no entanto, um tipo de apresentação pouco frequente ainda que bastante agressivo. Neste tipo de apresentação, o cancro tende a crescer e disseminar-se muito rapidamente, sendo que os sintomas do mesmo pioram numa questão de dias ou mesmo de horas. É importante que as pessoas reconheçam os sintomas e procurem ajuda imediatamente. Apesar de se tratar de uma patologia bastante agressiva, com a evolução nos tratamentos é uma situação bastante mais fácil de controlar nos dias de hoje.

 

Ao contrário de outras doenças oncológicas em que existe uma causa para o seu desenvolvimento, relativamente ao cancro da mama não é conhecida uma causa directa.

Conhecem-se sim factores que estão relacionados com uma maior probabilidade do indivíduo desenvolver cancro da mama.

Os factores de risco mais importantes são a idade, a história familiar, mutações existentes em genes específicos (BRCA 1 e  2), longa história menstrual, gravidez tardia ou inexistente, toma de anticoncepcionais orais ou terapêutica hormonal de substituição (THS) e ainda tabagismo, obesidade, falta de actividade física, dieta pouco equilibrada ou stress.

 

Através da examinação regular da própria mama, é possível para a mulher detectar mais fácil e rapidamente a ocorrência de mudanças invulgares, como a existência de saliências ou nódulos nas mamas ou alterações nos mamilos.

 

O auto-exame da mama é aconselhado a todas as mulheres, especialmente com idades inferiores às idades de risco e que, portanto, não sejam aconselhadas à realização de mamografias frequentes.

O auto-exame deve ser realizado mensalmente, sete a dez dias após a menstruação.

 

(informação da Sociedade Portuguesa de Senologia)

Para realizar este exame de forma correcta, a mulher deve colocar primeiramente frente ao espelho com os braços caídos ao lado do corpo de forma a poder observar cada mama individualmente, tomando particular atenção à sua forma, cor, tamanho e contorno. Posteriormente a esta observação, a mulher deve verificar possíveis alterações na forma das mamas e mamilos mas desta vez com as mãos nas ancas e, em seguida, atrás da nuca.

Seguidamente, deve realizar palpação com a mão contrária à mama a pressionando com a ponta dos dedos, seguindo movimentos transversais e circulares e, por fim, examinação por quadrantes. Deve igualmente, proceder a uma palpação na zona da axila de forma a detectar a presença de espessamento ou nódulo. Para além disso, é também recomendável a mulher proceder ao auto-exame da mama numa posição horizontal.

 Por norma, as alterações detectadas benignas. Sentindo qualquer alteração, a mulher deve contactar o médico para que este tome medidas no sentido de verificar a situação.

 

O auto-exame é seguro e deve ser efectuado examinação clínica da mama, e não como alternativa a estes.

Existem estudos que sugerem que a realização do auto-exame da mama apresenta benefícios em todas as idades. Ainda assim, apesar de ser uma medida importante, o auto-exame da mama, por si só não irá levar à redução da mortalidade por cancro da mama.

 

Quem costuma realizar frequentemente o auto-exame da mama? É tão importante e tão facilmente esquecido...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

littlebubble


Comenta:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Contacto:

chocolatequentecomchantilly@hotmail.com


Segue-me

Follow on Bloglovin

Bem-vinda!

Chocolate quente com chantilly foi criado para puder partilhar as minhas opiniões, dúvidas, dilemas e as mil e uma ideias que correm na minha cabeça. Também expressarei os meus conhecimentos sobre os assuntos que mais me despertam interesse e também servirá de desculpa para os puder aprofundar.

Falarei um pouco sobre tudo. Textos de opinião, moda, beleza, saúde, relacionamentos, séries, música, filmes, entre outros. Antes de mais quero deixar a promessa de esperança de num futuro próximo puder tratar de muitos mais temas.

Espero ainda que compreendas que não sou nenhuma profissional ou expert nos assuntos que tratarei, simplesmente, adoro pesquisar sobre os mesmos pois gosto muito de aprender sobre aquilo que me rodeia. Portanto, se houver algo que esteja incorrecto ou não concordes, comenta porque terei todo o gosto em ler e responder ou até corrigir se necessário.

Para finalizar, espero que te identifiques comigo.


Carpe diem!


calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30


Afiliados: